Frankenstein – revisitando um clássico

Frankenstein. Foto: Bárbara Valdez
Frankenstein. Foto: Bárbara Valdez

A história de Frankenstein foi escrita em 1818, na Inglaterra, por Mary Shelley. Depois disto, existiram inúmeras adaptações sobre o monstro criado pelo cientista que queria sobrepujar a morte. No livro que trago hoje, esse clássico do terror é recontado numa incrível novela gráfica elaborada pelo ilustrador e escritor Gris Grimly.

Frankenstein

O enredo adaptado por Gris baseia-se no texto original do século XIX, por isso, em muitos momentos, o leitor consegue sentir o tom poético da construção literária. A forma como os personagens falam e alguns comentários do narrador têm essa característica bem presente.

A poesia do texto foi algo que me surpreendeu, pois não imaginava que Frankenstein fosse construído com esse aspecto, porém isso fez com que toda a carga emocional que a história apresenta fosse sentida de modo muito mais intenso, enfatizando também o tom surreal criado com as ilustrações.

Frankenstein
Tradução: “Eu pedi a ti, criador, que do barro me fizesse homem? Eu solicitei a ti que das trevas me trouxesse?”

A história mostrada por Gris tem uma ilustração sombria, com um design gráfico que consegue captar a emoção de personagens essencialmente marcados pela perda e que sentem-se incompreendidos no mundo.

No decorrer do enredo o leitor consegue perceber as várias nuances que a história apresenta, ficando complicado posicionar-se a favor de um só personagem. Nos é apresentado a inquietação de Victor Frankenstein e todo o sofrimento pelo qual ele passou depois de ter criado o monstro, e ao mesmo tempo também vemos toda rejeição e isolamento ao qual esse “monstro” está destinado.

Frankenstein

Antes de ler Frankenstein pela novela gráfica de Grimly, eu realmente não conhecia a história como um todo, só tendo aquela ideia conceitual do que via nos filmes. O livro tem uma narrativa bastante detalhada, tanto textualmente quando nas ilustrações, de forma que o leitor realmente consegue perceber a profundidade da história.

Frankenstein

A parte textual do enredo é construída por momentos de diálogo, momentos de narrativa padrão e, algo bem interessante, muitas passagens são elaboradas em formato de cartas.

Contando rapidamente, o livro inicia com Frankenstein ainda bem jovem na sua cidade natal, em Genebra, na Suiça. A partir da morte da mãe, Victor começa a interessar-se por estudos que tratam da imortalidade. Com o tempo, ele aprofunda-se no tema e consegue dar vida a uma criatura formada por pedaços de cadáveres.

Frankenstein

Depois de criar o tal monstro, o personagem se dá conta de que aquela criação foi um erro e a rejeita. Só que ele não pode mais voltar atrás, aquele ser “monstruoso” está vivo e quer fazer parte do mundo, porém tudo que ele encontra é rejeição.

A partir daí, a história desenrola-se numa série de fatos trágicos envolvendo vingança, perdas, arrependimento e decepção.

Frankenstein

Terminado o livro, posso dizer que mais do que uma história de terror, Frankenstein é, essencialmente, uma história humana, a qual fala de perdas, das angústias internas que todos nós sentimos e da busca por redenção.

Então quem quiser ler vale muito, muito a pena!

Frankenstein

Um último ponto ainda não comentei e que muitos vão achar negativo é que esse livro  só tem versão em inglês, tendo sido publicado pela Harper Collins  em 2013. Realmente é uma pena que as editoras brasileiras ainda não tenham publicado esse livro nacionalmente (então #ficaadica para a Darkside Books porque acho que o livro tem tudo a ver com a proposta de vocês!).

Frankenstein
Livro sem a jacket.

Essa versão de Frankenstein merce muito ser lida, a qualidade do trabalho é ótima, o livro é capa dura e, apesar do texto ser em inglês, as ilustrações ajudam bastante na compreensão da história. Quem tiver interesse em comprar, pode encontrá-lo na Livraria Cultura e na Book Depository (já comprei nessa loja e todos meus livros chegaram!).

Frankenstein
Livro com a jacket. Foto: Bárbara Valdez

Espero que tenham gostado do livro de hoje e se tiverem alguma sugestão escrevam nos comentários.

Ah, acompanhem o blog e cadastrem-se para serem avisados sempre que uma nova postagem for ao ar.

Anúncios

Um comentário sobre “Frankenstein – revisitando um clássico

  1. Pingback: Especial Halloween | Achando Histórias

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s