Fortunately, The Milk – uma aventura bem maluca

Capa do livro com os detalhes da jacket e da capa dura original. Foto: Bárbara Valdez
Capa do livro com os detalhes da jacket e da capa dura original. Foto: Bárbara Valdez

Quem aqui gosta do Neil Gaiman? E de histórias meio malucas que trabalham com uma série de personagens diferentes? Se você respondeu sim a essas duas perguntas, pode achar interessante o livro Fortunately, The Milk (algo como, Felizmente, O Leite, em tradução livre).

A aventura começa com um pai que foi comprar leite para o café do manhã dos filhos. Tudo normal até aí, mas então, meio que de repente, o homem se vê envolvido numa série de acontecimentos surreais com dinossauros, alienígenas, piratas, vampiros, pôneis, deuses e, ufa!, policiais intergaláticos. A partir daí é confusão atrás de confusão.

Ilustração do Deus Vulcão em tamanho grande, presente em um das cenas do livro. Foto: Bárbara Valdez
Ilustração do Deus Vulcão. Foto: Bárbara Valdez

O texto escrito pelo Neil Gaiman foi publicado originalmente na Inglaterra e a ainda não tem tradução para o Brasil. O exemplar que li é uma versão publicada em inglês pela Bloomsbury Publishing, em 2013, com capa dura e uma jacket bem bonita.

A história é voltada para crianças (acredito que para uma faixa etária até uns 12 anos), mas como gosto muito do autor resolvi comprar o exemplar mesmo assim.

Posso dizer que o enredo é de puro entretenimento, ele não tenta manter uma verossimilhança em nenhum aspecto com a realidade, nem tenta passar alguma lição específica de moral, é simplesmente uma aventura “sem noção”, mas é exatamente por ser tão desconexo que o enredo é super engraçado.

Folha de guarda do livro. Foto: Bárbara Valdez
Folha de guarda do livro. Foto: Bárbara Valdez

Toda a história é contada pelo pai aos seus dois filhos, como uma forma de justificar porque ele demorou tanto em ir até o mercado comprar o leite (que ele já havia esquecido de comprar na noite anterior) e voltar para casa para que as crianças pudessem tocar o café da manhã. Mas a história que ele conta é tão descabida que nem os próprios filhos acreditam.

O livro é ilustrado pelo Chris Riddell e com exceção de uma única cena, os desenhos são todos em preto e branco. As imagens são muito legais e representam cada momento da aventura.

Os diálogos dos personagens também são bem divertidos de ler e têm aquele tom de algo que é obviamente insano, mas que todo mundo está convicto que é verdade.

– How does a volcano know so much about trans-temporal meta science?

– Being a geological formation gives you a lot of time to think. Also, I subscribe to a number of learned journals. P. 111

Deus vulcão lendo jornal. Foto: Bárbara Valdez
Deus vulcão lendo jornal. Foto: Bárbara Valdez

Uma das maiores confusões da aventura gira em torno de um grupo de alienígenas que querem remodelar a Terra e obrigar o tal pai a ajudá-los no processo. É muito engraçado como os alienígenas imaginam essa remodelação. Eles se acham muito artísticos e gostam de pratos decorados, então a ideia é a seguinte: tirar todos os grandes monumentos/pontos importantes do planeta e colocar no lugar pratos decorados com fotos desses monumentos, países ou mesmo satélites (como a lua), uma obra prima.

We also like decorative plates. So the Eiffel Tower will be replaced by a large plate with a picture of the Eiffel Tower on it. And Australia will be replaced by a really seriously big plate with Australia on it. P.98

Alienígenas gosmentos que querem dominar o mundo. Foto: Bárbara Valdez
Alienígenas gosmentos que querem dominar o mundo. Foto: Bárbara Valdez

Bem, quanto ao título, ele é um termo que o pai usa diversas vezes ao longo do livro. Na maior parte da história, a caixa de leite sempre está em perigo iminente, assim, quando ela consegue sai ilesa de alguma confusão, o pai sempre diz: “fortunately, the milk was safe” ou  “fortunately, the milk was in pocket” ou outras coisas para informar às crianças que o leite sempre esteve a salvo durante a aventura.

Quem gostar do autor, de livros infantis ou tiver crianças em casa, como irmão pequeno, sobrinho ou filho, a leitura de Fortunately, The Milk vale super a pena. O exemplar tem 142, mas não é nem um pouco cansativo. Eu comprei o livro na Book Depository (que é um loja internacional), mas quem quiser pode fazer a compra nas livrarias Saraiva ou Cultura.

Capa do livro sem a jacket. Foto: Bárbara Valdez
Capa do livro sem a jacket. Foto: Bárbara Valdez

Espero que vocês tenham gostado da história de hoje e quem quiser ver o vídeo que fiz sobre esse livro pode clicar aqui. Beijos a todos!

Anúncios

2 comentários sobre “Fortunately, The Milk – uma aventura bem maluca

    1. Neil Gaiman é ótimo! Eu comecei a ler O Oceano no Fim do Caminho, mas não consegui “engatar” na história. Vou me fazer voltar a pegar o livro, porque o enredo parece realmente ser super interessante e é um dos livros favoritos de muita gente. Agora, esse do Fortunately, The Milk, se você ler vai ver que é uma história muito divertida mesmo. Beijão!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s